05/09/2010

Memórias Póstumas de Brás Cubas, a graphic novel.


Tendo em mãos um exemplar de nossa adaptação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, a expressão que me vem é: ficou lindão!

Para mim, foi uma caminhada que começou há dois anos, quando produzi o roteiro para esta versão quadrinística da obra-prima de Machado de Assis. Depois veio a busca por uma editora, até que tive minha proposta de adaptação aceita pela Desiderata do grupo Ediouro. Mais ou menos ao mesmo tempo, em junho de 2009, tive a felicidade de ganhar como parceiro nessa travessia o amigo J.B. Melado.

Com o roteiro aprovado, os meses seguintes foram de muito trabalho artístico e algumas esperas por respostas da editora. E vendo agora o álbum impresso, posso dizer que valeu a pena, inclusive pelo privilégio de ler o elogioso prefácio de Moacyr Scliar.

Fica então o convite para que todos confiram esta nossa HQ machadiana!

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
(Coleção Clássicos em Graphic Novel)
Formato 28cm x 21cm
88 páginas
R$39,90

8 comentários:

Kteno disse...

E então Wellington, já está a venda? Vai ter algum evento de lançamento? Como podemos adquirir a obra??

Wellington Srbek disse...

Olá Kteno,
O álbum já está à venda há duas semanas. A imagem da capa que estava no topo do blog e está agora na coluna aqui ao lado tem um link para a loja virtual da Cultura. Mas também já está à venda na Saraiva, no Submarino e com desconto no Walmart e nas Americanas: http://www.walmart.com.br/Produto/Livros/HQs/Nova-Fronteira/222058-Memorias-Postumas-de-Bras-Cubas.aspx http://www.americanas.com.br/prod/3164569/BookStore?i=1.
Não deixe de conferir!

Lillo Parra disse...

Acabei de ler. Comecei no almoço, continuei no metrô e acabei aqui em casa, sob os protestos insanos de minha esposa.
Li Brás Cubas 02 vezes na minha vida. Uma há 25 anos, ainda no ginásio, outra vez faz uns 15, 16 anos.
Não sou um expert em Machado, mas o que li hoje rememora exatamente o que lembrava do livro.
E para mim isso é uma ótima adaptação, afinal prova que você extraiu aquilo que era efetivamente importante para a compreensão da obra.
E a adaptou para uma linguagem muito mais acessível.
E não é essa uma das principais características dos quadrinhos? A de tornar direta uma mensagem?
E o traço do J.B.Melado ficou show de bola. Expressivo, sem arroubos estéticos e com muita personalidade.
Meu amigo, vocês fizeram um baita dum gibi.

Parabéns!

Wellington Srbek disse...

Pôxa, Lillo, fiquei até meio sem palavras com seu comentário! Só posso agradecer por compartilhar com todos sua leitura de nosso Memórias Póstumas. Valeus!
E prometemos caprichar ainda mais em Dom Casmurro!

rbmatos disse...

Boa pedida, vou ler com certeza.

aproveitando o ensejo gostaria de convidá-lo para visitar o Mediocridade Radioativa, Blog voltado para a temática de quadrinhos, cinema, e afins, que está sendo relançado depois de dois anos de inatividade,

desde já aviso que me tornei seguidor de seu blog, muito bacana mesmo, inclusive me identifiquei com os posts sobre o homem aranha, já que lá tambpem foi feita uma pesquisa traçando um paralelo entre a realidade de determinado momento e as fases do personagem,

então um abraço desse seu novo admirador e peço licença para dedicar um link lá no meu blog para o seu e se desejar fazer o mesmo ficarei honrado,

rbmatos

Wellington Srbek disse...

Olá rbmatos,
Continue acompanhando as postagens do Mais Quadrinhos que em breve deverei ter novidades. No mais, valeu pela divulgação do blog!

Anônimo disse...

Não poderia deixar de registrar aqui os meus parabéns a vc e ao Melado! Pela capa, já vejo que ficou muito bom.
Fico muito orgulhosa de ter um amigo tão talentoso!
Parabéns mesmo!!!
Grande abraço!

Renata

Wellington Srbek disse...

Olá Renata,
A ilustração do Melado realmente ficou muito bacana, combinando com a minha ideia de termos um trecho do livro na capa. Inicialmente, o Melado iria colorir todo o álbum em aquarela, mas a editora optou pela colorização no computador, que acabou ficando bem bacana também. Quando puder, dê uma conferida no trabalho completo, que já está em algumas livrarias aqui de BH.
Abraço!