16/06/2010

O Médico e o Monstro numa genial adaptação espanhola.


Uma das funções mais importantes da Internet é tornar possível o contato entre pessoas que de outra forma jamais viriam a se conhecer. Foi através dela que conheci Ismael Marfull, amigo e correspondente de terras de España. Ismael já conhecia meu trabalho pela edição espanhola de Estórias Gerais e acabou entrando em contato comigo através deste blog. Passamos então a trocar e-mails e logo estabelecemos um riquíssimo intercâmbio de edições: vão daqui quadrinhos meus e de outros autores brasileiros, vêm de lá edições europeias de autores como Ortiz, Breccia e Druillet (com as quais pude preencher as grandes falhas em minha coleção – Gracias, Ismael!!!).

Entre os álbuns que já recebi, as grandes surpresas foram os trabalhos de autores espanhóis atuais. O pacote mais recente vindo de España estava recheado deles e incluía uma das mais criativas HQs a que tive acesso nos últimos tempos: uma adaptação de O Médico e o Monstro de Robert Louis Stevenson. Com brilhante roteiro de Santiago García e belas ilustrações de Javier Olivares, em suas 28 páginas de quadrinhos El Extraño Caso del Dr. Jekyll Y Mr. Hyde é um convite à inteligência e um regalo para os olhos. Apesar de ter poucas páginas e mesmo sendo parte de uma coleção infantojuvenil, com sua roteirização inspirada e seu visual intenso, o trabalho interpreta narrativamente e recria esteticamente os elementos essências do clássico de Stevenson.

O cenário é a contraditória Londres de fins do século 19, com sua opulência e sua miséria, sua rica vida social e suas estreitas ruelas. Como trama central, temos os experimentos do bem-intencionado médico que busca separar seu “lado ruim”, e acaba por libertar um sádico monstro. Mas há ainda mais! Com um texto certeiro e conciso, o roteiro de García parte de uma estrutura de páginas duplas (ou de páginas horizontais ampliadas, se preferirem) com um grande quadro somado a outros menores. Fazendo um ótimo jogo narrativo e trazendo diagramações muito inventivas, várias dessas páginas ampliadas dividem-se em duas partes que mostram momentos distintos ou situações opostas, funcionando como uma metáfora visual da própria temática do álbum.

E com um roteiro muitíssimo inventivo, criativo e original, o que mais poderíamos querer desta adaptação literária? Na certa, não poderíamos pedir nada muito além do que nos oferece o talentosíssimo Olivares, com seu traço cartunístico marcado, de expressividade bastante pessoal e cores contrastadas e intensas. Um expressionista dos quadrinhos, o desenhista espanhol não esconde suas fontes de inspiração para esta HQ, apresentando um cenário que parece saído de uma das cenas do clássico do cinema mudo O Gabinete do Doutor Caligari. Aliás, literatura inglesa, Expressionismo Alemão, ilustrações modernistas e até psicanálise freudiana mesclam-se nas imagens deste álbum, gerando ilustrações de grande força comunicativa e poética visual.

Se não bastasse cumprirem bem a missão de adaptar o clássico de Stevenson, García y Olivares ainda nos brindam com uma página final “biográfica”, em que apresentam o autor do clássico e fazem referência às diversas adaptações de O Médico e o Monstro, fechando metalinguisticamente com uma referência a seu próprio álbum. Por tudo que escrevi aqui e por outros motivos que escapam a uma descrição, El Extraño Caso del Dr. Jekyll Y Mr. Hyde é um verdadeiro deleite e um autêntico exemplo do que chamo de quadrinho-arte. Com um roteiro inteligente a um visual delicioso, essa HQ prova que, mesmo seguindo padrões editoriais, é possível fazer-se um trabalho da mais alta qualidade; algo que podemos, sem exageros, chamar de genial!

16 comentários:

Diego Vieira disse...

Que a moda pegue por aqui!

Wellington Srbek disse...

Temos lá nossas joias também, Diego (como o Prontuário 666 do Samuel Casal, por exemplo).
Mas este Jekyll y Hyde mereceria bem uma edição brasileira!

Diego Vieira disse...

Sim, Prontuário 666 é uma dessas coisas que sempre que vejo o Samuel online no msn, tenho vontade de congratular o sujeito. Mas falo das adaptações literárias. Ainda são poucas (no aguardo de uma que você está a produzir, e a do Spacca), que fazem valer a pena a compra e os olhos arregalados.

Ismael Fancito. disse...

Não tenho remorsos. Se tivera um jet privado... Viva o quadrinho!

Bruninha disse...

Nossa, que demais. Adorei a notícia...
Adoro quadrinhos e gibis desde sempre.
Inclusive, vc já viu os novos gibis da Turma da Monica em clima de Copa do Mundo?! Meo, estão perfeitos! ^^

Beijos!

Wellington Srbek disse...

Olá Diego,
Eu já acho que temos adaptações demais. Era hora de as editoras investirem também em quadrinhos autorais originais, como o Prontuário 666 ou o Estórias Gerais.
Há um tempo eu falava com o Casal sobre um projeto em parceria. Vamos ver se conseguimos uma editora...

Wellington Srbek disse...

E viva os tebeos, Ismael!

Wellington Srbek disse...

Olá "Bruninha" (ou seja lá qual for seu nome de verdade),
Das outras vezes fui diplomático, mas é simplesmente RIDÍCULO a Panini ficar usando o meu blog para divulgar seus lançamentos.
Se quiser fazer algo honesto e sem utilizar supostos nomes femininos, enviem as edições para eu resenhar ou comprem um espaço publicitário aqui no Mais Quadrinhos.
O próximo pseudo-comentário que fizerem aqui para divulgar seus lançamentos, twitter ou o que for, não será respondido e simplesmente apagado.
Esse povo acha que a gente é bobo!

Lillo Parra disse...

Boa! Quero ser assim quando crescer!

Wellington Srbek disse...

O que mais me impressiona é a cara de pau desse povo!

Lillo Parra disse...

Mas deixando essa gente de lado (não merecem muito mais do que a lavada que você já deu), sabe se eu consigo essa adaptação aqui no Brasil? Não leio espanhol, mas com um pouco de esforço e um bom dicionário...

Wellington Srbek disse...

Rapaz, talvez na Saraiva ou na Cultura, que são livrarias que importam livros, você possa conseguir.
E quanto à leitura é bem tranquilo, pois o texto é conciso. De repente, visite a página dos autores e dê uma conferida.
Mas editoras como a Zarabatana bem que podiam lançar Jekyll y Hyde por aqui.
Abraços!

Diego Vieira disse...

Cara, eu concordo contigo. Meu comentário, na verdade, se deve a essa febre que as editoras andam de publicar adaptações, deixando de lado a produção original e desestimulando, a meu ver, a produção de quadrinhos autorais.
Claro que existem caminhos vários, as veredas he, mas cadê que há o espaço para se trabalhar, quedê o faz-me rir?
Enquanto isso, seguimos produzindo por amor. Tipos como você e tantos mais, há mais tempo na empreitada, com merecidas glórias, outros como eu, ainda podem até ter o luxo de trabalhar com gente do naipe do Antonio Eder, que topou essa empreitada do Pássaros Artificiais comigo. O que importa é que segue todo mundo esse caminho gostoso, o da criação.

Wellington Srbek disse...

Pois é, Diego, já passa da hora de se estabelecer um mercado para os autores brasileiros no Brasil. Este momento das adaptações pode ser um trampolim para isso, na medida em que as editoras vejam a qualidade dos trabalhos produzidos aqui e obtenham uma boa resposta de vendas.
Mas não apenas as adaptações de clássicos podem dar um bom retorno às editoras. O ideal é que tenhamos também publicações periódicas, que lancem HQs e séries de personagens, consolidando uma produção. A Turma da Mônica é o melhor exemplo disso.
Abraço!

kris zullo disse...

cacetada! simplesmente linda a página do olivares!
de encher os olhos. pusta estilização lindona! fiquei afins de adquirir o álbum, lindão!
darei um pulo poraqui em sampa nas saraivas e livrarias cultura da vida pra ver se encontro.
grande abraço!
kz

Wellington Srbek disse...

Kris, o trabalho é realmente fabuloso! Acredite, esta página é linda, mas tem outras ainda mais impressionantes no álbum.
Não deixe de visitar o link para a página do desenhista, pois lá tem outras belas páginas.
Abraços!