03/04/2008

Antes do Incal chega a seu último volume.


Escrita pelo chileno Alejandro Jodorowski e desenhada pelo francês Moebius, Incal foi uma das mais cultuadas séries dos quadrinhos europeus nos anos 80. Uma mistura de ficção científica e esoterismo, a saga do improvável herói John Difool alcançou grande sucesso internacional, dando origem mais tarde a HQs que contavam fatos ocorridos antes dos álbuns desenhados por Moebius. Esse é o caso de Antes do Incal, série escrita por Jodorowski e desenhada pelo iugoslavo Zoran Janjetov, que teve seu último volume lançado agora pela Devir.

Antes do Incal - Volume Três começa com um John Difool mais jovem e heróico prestes a tomar parte em uma rebelião de “anarquistas psicóticos”. Em sua companhia está a bela e destemida Luz de Garra que vê em toda essa situação uma oportunidade de revelar a todo o planeta um “segredo terrível”. No entanto, uma conspiração orquestrada por Tecno-Papa, Prez e Cybo-Comandante detém os planos do apaixonado casal. A partir daí, a sucessão de eventos leva à separação de John e Luz, ao mesmo tempo em que abre caminho para entrar em cena o Incal e toda a mística em torno dele. Sobra ainda espaço para a ação de piratas galácticos e uma trama envolvendo aristocratas decrépitos (tudo envolto no linguajar e com os toques de absurdo que caracterizaram a série original).

Basicamente, o terceiro volume de Antes do Incal serve a um único propósito: encerrar a história iniciada nos volumes anteriores, montando o cenário de onde parte o álbum “Incal Negro” (publicado pela Devir junto com “Incal de Luz”, em Incal - Volume Um). Na verdade, as páginas finais desse último volume são recriações das primeiras páginas da HQ original desenhada por Moebius, cumprindo plenamente a função de estabelecer a ponte retroativa entre uma obra e outra. Mas por isso mesmo, por ter que “emendar” duas histórias bastante diferentes, Jodorowski acaba utilizando alguns truques baratos (como uma amnésia induzida a John Difool para deixá-lo mais próximo do personagem lançado nos anos 80). Em contrapartida, há todas as referências a elementos mais atuais que dão a Antes do Incal sua marca particular (apesar dos diálogos repletos de lugares-comuns).

E se o roteiro de Jodorowski é diretamente ligado à série original, a cada quadro os desenhos de Janjetov fazem referência ao traço de Moebius (talvez com alguns detalhes mais ao estilo de Richard Corben). Literalmente reverenciando a arte do mestre, o desenhista iugoslavo consegue um bom resultado técnico, sem alcançar, é claro, a clareza e a força inimitáveis do gênio francês. Mas é provável que a maior deficiência no visual de Antes do Incal não esteja no desenho, mas sim na colorização muito escura e manchada feita por Valérie Beltran. Diga-se de passagem, a colorização por computador também interferiu negativamente no visual da reedição do próprio Incal (uma rápida comparação com os primeiros álbuns lançados pela Meribérica deixa evidente que os efeitos de computador aplicados nas novas edições mais prejudicaram do que contribuíram para o estilo linear e iluminado de Moebius).

Publicada originalmente em seis álbuns que chegaram primeiro ao Brasil na edição portuguesa da Meribérica, Incal ganhou sua primeira edição norte-americana nos anos 90, na forma de três volumes. Esse mesmo modelo foi utilizado em 2006 na primeira edição da obra clássica no Brasil, bem como para a publicação de Antes do Incal. Isso trouxe o benefício do barateamento da coleção, porém, a opção de recolorir os primeiros álbuns desenhados por Moebius (possivelmente para estabelecer uma homogeneidade entre as duas séries), pode ter “atualizado” o trabalho, mas acabou gerando uma obra artisticamente mais pobre. Uma curiosa coincidência é que a produção de Incal e Antes do Incal numa ordem temporal inversa à das histórias, somada à sua publicação na forma de duas coleções de três volumes cada, lembra muito outra série envolvendo ficção científica e esoterismo: as duas trilogias Guerra nas Estrelas/ Star Wars.

Antes do Incal - Volume Três tem formato 21cm x 28cm, capa cartonada com impressão especial e miolo de 96 páginas, sendo vendido ao preço de R$ 42,00.

3 comentários:

Ismael Fancito. disse...

¡Jajaja (risos espanhois)! Não li esta série -ainda que sim O Incal-, sem dúvida deve ser completamente verdadeiro o dos truques baratos e os diálogos. Jodorowsky é um grande aficionado aos western e seus conhecimentos sobre tradições místicas e populares como os contos são o estopim que lhe faltava para que seus leitores sempre acabemos ignorando esse fato.
Seus personagens sempre falarou como atores de telefilms de amor romântico ou westerns.
Eu não sofri a nova cor na série O Incal mas sim em Depois do Incal. Resulta difícil reconhecer a Moebius, inclusive a Jodorowsky (quem não queria continuar a história para o futuro).
Éxiste em Cómics en extinción uma excelente mostra comparativa entre os dois coloridos de O Incal (curto o enlace para que não tenha problemas para copiá-lo):

http://comicsenextincion.blogspot
.com/2007/04/el-incal-
comparativo-entre-versiones.html

Ismael Fancito. disse...

Recordem juntar o enlace completo para utilizálo.

Wellington Srbek disse...

Gracias, Ismael!
Não conhecia aquele saite, mas são bem legais os paralelos entre as páginas em preto & branco, as cores originais e as novas cores em computador. Inclusive, aquela página do John Difool caindo (que considero uma das mais fantásticas dos quadrinhos) é a que uso como exemplo para meus alunos de uma página que perdeu muito com as novas cores.
Acredite, Antes do Incal tem ainda mais lugares-comuns!