07/03/2012

Solar, há 15 anos...



Em 2012, minha revista Caliban completa 15 anos. Lançada em agosto de 1997, ela substituiu a revista Solar, trazendo novos personagens e dando continuidade à “saga” do herói (para mais informações sobre ele, basta clicar no marcador abaixo).

A imagem acima mostra a primeira aparição de Solar nas páginas da Caliban. Os desenhos são de Erick Azevedo, com arte-final de Sidney Telles; algumas páginas à frente, teríamos ainda desenhos de Luciano Irrthum. Com isso, essa foi, sem dúvida, uma das HQs mais bem desenhadas da versão original de Solar, e continua sendo um de meus roteiros favoritos para o personagem.

Tanto é que este capítulo foi reestruturado e acabou também fazendo parte da versão reformulada lançada em 2009, incluindo a narrativa original do rei-urubu


Mais sobre Solar na próxima postagem!

6 comentários:

Jean Okada disse...

Ficou legal mesmo essa página.

Pior que cheguei a ver essas revistas nas bancas aqui de Sampa na época, mas não comprei pensando "Ah, deve ser só mais um dessas cópias de heróis gringos". Se eu soubesse... Dancei :/

Wellington Srbek disse...

Ah, então pagaste por tua pouca fé nos quadrinhos brasileiros, Jean!
Mas deixando a brincadeira de lado, ainda se encontra essas revistas com alguma sorte em sebos...
Abraços!

Carlos Brandino disse...

Reli ontem esta revista para estar fazendo alguns desenhos dele e admito que continua boa a leitura. E esta cena do urubu é muito boa.

Wellington Srbek disse...

Acho que foi um momento inspirado meu!

Jean Okada disse...

Eu sei que foi brincadeira, mas tive vontade de comentar: fé nos quadrinhos brasileiros eu sempre tive; só não tive nos super-heróis brasileiros. Geralmente são só cópias de algum herói estrangeiro. Não vou citar nenhum porque não estou aqui pra polemizar, mas você sabe do que eu falo.

Na época que eu vi suas revistas nas bancas eu já tava bem escaldado, e pensei se tratar apenas de mais um super-herói brasileiro tosco. Pensei "Comigo não, vocês não me enganam mais".

Fora isso, acredite se quiser, eu sempre comprei mais gibis nacionais do que estrangeiros. Nem era por nacionalismo, não, eu simplesmente gostava (e ainda gosto) mais. Nos anos 80 comprava muito gibi nacional de terror, era uma maravilha encontrar quase todo mês nas bancas algum gibi desenhado pelo Mozart Couto e pelo Colin.

Bicho, vou seguir o exemplo do meu mano Carlos Brandino e fazer um desenho do Solar também.

Wellington Srbek disse...

Ah, mas eu também estava brincando, Jean!
E também sou da sua turma que sempre prestigiou o quadrinho brasileiro - tenho aqui até hoje aquele almanaque que você desenhou...
Ôpa! Essa brincadeira está ficando legal - aguardo seu desenho do Solar!